Evolução em Embalagens Farmacêuticas 02

Em meu segundo artigo sobre a evolução nas embalagens farmacêuticas (ver meu artigo anterior sobre a “embalagem que fala”) mostrarei soluções para folhetos de informação ao paciente. Mais conhecidos como bulas, consistem em um folheto duplo ou multicamada, folhas únicas ou multi-página, algumas vezes sob a forma de brochura, que, de uma maneira ou de outra, deve ser incorporado na embalagem farmacêutica.
São utilizados para aplicações onde o espaço de impressão na embalagem é inadequado para apresentar as informações necessárias.

Para a indústria farmacêutica, os folhetos de várias páginas têm sido especialmente notáveis, pois com o controle regulatório rigoroso, aumentou a necessidade de mais informações do produto, muitas vezes em vários idiomas.

Não é incomum, uma vez nas mãos dos pacientes, a perda das instruções de utilização publicadas e as informações de segurança, fornecidas com drogas de prescrição e venda livre. Uma solução para este problema é oferecida pelo Burgopack e Medica Packaging. A embalagem da Burgopack incentiva o cumprimento regulatório e seguimento do tratamento, mantendo a bula, o produto embalado em blister e a embalagem exterior, permanentemente conectados através de um único mecanismo de deslizamento. O cartucho Chrysalis da Medica Packaging combina a bula informativa diretamente na estrutura da embalagem.

Como ambas as embalagens utilizam blister, adicionei o mais recente desenvolvimento em embalagens blister, ou seja, o filme da Constantia Flexibles Ltd para a cobertura de blisteres, livre de papel (paper free) e resistente a crianças.
Todos os são ligados um ao outro e, como verão, utilizam o desenho ou o material um do outro.

Chrysalis combina a Embalagem para medicamentos e a Bula Informativa
O desenho do cartucho Chrysalis da Medica Packaging combina a bula diretamente na estrutura da embalagem exterior. Informações importantes sobre a medicação são convenientemente ligadas ao cartucho exterior durante todo o ciclo de vida dos produtos.

O cartucho Chrysalis foi mostrado ao público pela primeira vez na exposição “Pharmapack Europe” realizada ano passado em Paris, França.
O projeto mantém o folheto compacto e acessível para que o consumidor possa ter acesso às informações sobre o produto. A perfuração abre-fácil no painel traseiro da embalagem permite ao consumidor o acesso às informações sem destruir o cartucho. A aba grande perfurada para acessar o folheto ocupa aproximadamente dois terços da área da superfície do painel traseiro.
Com o folheto de informações ao paciente já conectado à embalagem não há necessidade de inserir um folheto separado ao conteúdo da embalagem.

A empresa afirma que a concepção também tem a capacidade de simplificar o processo de fabricação, pois a embalagem é fornecida com o folheto já aplicado e não há necessidade de inseri-lo separadamente. Isto permite o aumento da velocidade de produção por meio de uma inserção mais rápida do produto, e simultaneamente redução de custos.

O cartucho Chrysalis, totalmente patenteado, é trazido ao mercado pela Burgopak Healthcare & Technology e fabricado sob licença pela Medica Packaging Ltda.

Cartucho Smartpack – Arte & Design Indústria Gráfica Ltda
Na mesma linha de bulas conjugadas encontramos o fornecedor brasileiro Smartpack. O objetivo primordial também é preservar a bula na embalagem após seu rompimento, oferecendo praticidade e segurança já que mantém as informações de uso disponíveis até o final do produto.

No Brasil, a bula representa o principal material informativo fornecido aos pacientes na aquisição de medicamentos produzidos pela indústria farmacêutica e a obrigatoriedade de inclusão na embalagem dos medicamentos é regulamentada pela Portaria no 110 da Secretaria de Vigilância Sanitária, de março de 1997. A bula é apontada como a fonte de informação mais importante sobre medicamentos após a prescrição médica e é um meio importante para sucesso no seguimento e eficácia do tratamento, além de fonte de consulta em caso de intoxicação e efeitos colaterais, além das indicações de armazenamento corretas.

A embalagem, lançada em junho de 2011 no mercado, possui um compartimento lacrado por sistema de abertura picotado que pode ser fechado novamente por uma trava, onde está colada a bula.
O processo de conjugação do folheto é feito por sistema automatizado com dispositivos de segurança evitando a mistura.
Como vantagens adicionais a Smartpack alega oferecer um melhor aproveitamento do perímetro interno do cartucho, permitindo ajuste no tamanho da embalagem em relação ao produto.

Ainda como vantagem para a indústria tem a gestão de apenas um estoque, o que pode se tornar um problema, já que muitas vezes os lotes mínimos para bulas e cartuchos não correspondem, e também a minimização do risco de misturas do ponto de vista da qualidade assegurada.
A empresa também afirma redução nos custos de produção por velocidade, manuseio de estoques e custos de aplicação da bula à embalagem, além da redução da possibilidade de falsificações.

As variações de aplicação são: aplicação e conjugação no compartimento, sem conjugação, impressão no compartimento e na parte interna da embalagem.
Nesse caso, a aplicação do conceito ainda se estende além do segmento farmacêutico, podendo também ser utilizado para fins promocionais e ações de marketing tais como: inserção de cadernos de receitas, dicas, códigos e folhetos promocionais, cupons de sorteios e outros, nos segmentos alimentício, cosmético, eletrônicos e etc.

O design deslizante e resistente a crianças da Burgopak
O design deslizante da Burgopak resistente a crianças incentiva o cumprimento em manter a bula, o produto no blister e a embalagem exterior permanentemente conectados através do mecanismo de deslizamento. A funcionalidade da embalagem resistente a crianças é baseada em um sistema de bloqueio por pontos de pressão. O blister e a bula são expostos nas extremidades opostas da embalagem quando o utilizador empurra simultaneamente duas guias e desliza para abrir a embalagem.

Para a embalagem de blister duplo, o consumidor puxa um dos blisteres para fora da caixa, que automaticamente empurra o segundo blister para fora, do lado oposto. Quando se trata de uma embalagem de blister único, o folheto aparece no outro lado da caixa.
O segredo da embalagem, concebida pela Burgopak, é a fita de deslizamento. Esta fita é disposta horizontalmente em torno do painel interior do cartão. Essa fita é colada no lado esquerdo do cartão de papelão já com um folheto colado. O lado esquerdo do blister é então colado à parte de trás da fita. Quando um blister à direita é extraído, a fita de deslizamento puxa para a direita e empurra o outro blister para a esquerda.

Pode ser produzido em modelos mono e duplo blister, e ainda pode conter dois produtos diferentes. Todos os desenhos incluem folhetos que são impressos e fornecidos em formato pré-dobrado.

A embalagem é produzida em máquinas da Burgopak totalmente automatizadas e pode ser fornecida globalmente a empresas farmacêuticas e de saúde.

O projeto alcançou êxito na Consumer Product Safety Commission dos EUA (agência regulatória federal independente) de resistência a crianças e eficácia em uso amigável (facilidade de uso por idosos). Está em conformidade com as normas reguladoras dos EUA para embalagens com prevenção de intoxicação. Isto foi alcançado com resultados impressionantes: eficácia de resistência de 98% e eficácia de uso amigável sênior/adulto de 95%.

Blister Pack Child-Resistant
O Blister Pack Child-Resistant, que foi projetado para o Staxyn, um medicamento para disfunção erétil da Bayer Pharma, atende a ambos os requisitos de resistência a crianças e uso amigável. Foi testado com sucesso para os dois parâmetros no mercado norte-americano e será introduzido em todo o mundo futuramente.

Este Blister consiste em uma folha de alumínio livre de papel e resistente a crianças, Alu15/PET12/Alu15/descascável e verniz selável a quente.

Comparado ao convencional papel/PET/ laminado de alumínio, a folha de cobertura livre de papel Blister Child-Resistant da Constantia Flexibles oferece uma série de benefícios.
Para a cobertura de blister livre de papel, a temperatura de selagem na linha é menor do que para laminados convencionais de alumínio/papel, o que significa que o consumo de energia é reduzido e, como o tempo de permanência na zona de selagem pode ser reduzido, a máquina de blister pode funcionar a velocidades mais elevadas. Uma vantagem adicional é a melhora da estabilidade do processo com a eliminação das bolhas que podem ocorrer no papel durante a selagem.

Além disso, devido à composição do material, que utiliza sobre a camada de decoração exterior um primer à base de água, em vez de um primer contendo solventes, fornece uma alternativa sustentável ao blister com cobertura padrão para as empresas farmacêuticas. O primer também resiste às temperaturas elevadas de vedação geradas durante o processo de embalagem.

Com este novo primer foi possível uma economia de mais de 220 toneladas de emissões de CO2 em 2011 e, de acordo com estimativas, este número irá aumentar para mais de 640 toneladas por ano em 2012.

Esta folha de cobertura para Blister Child-Resistant está disponível para os mecanismos de abertura: rasgar&empurrar (peel & push), descascar (peel-off ) ou dobrar&rasgar.

Revisado e o paragrafo sobre SmartPack por Fabiana Paciúlo

Artigos relatados:

   

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s